Arquivo da categoria: RECORTES

FERNANDO PY – TRIBUNA DE PETRÓPOLIS (2011)

ANTES DE SEUS 50 POEMAS ESCOLHIDOS PELO AUTOR (2010), DIEGO MENDES SOUSA, COM POUCO MAIS DE VINTE ANOS, HAVIA LOGRADO SURPREENDER O LEITOR COM UM LIVRO NOTÁVEL, METAFÍSICA DO ENCANTO.

SUA POESIA EXALTA SOBRETUDO O AMOR COMO FONTE DE VIDA E ENCANTO, TERNURA E GOZO, PAIXÃO E MOVIMENTO.

O POETA PRIVILEGIA OS SENTIMENTOS BÁSICOS DA ALMA HUMANA E, NA SUA IDADE AINDA VERDEJANTE, É O AMOR FÍSICO QUE LHE CONFERE OS MOMENTOS MAIS VALIOSOS DE POESIA.

COM O TEMPO, CERTAMENTE DIEGO MENDES SOUSA HÁ DE ENRIQUECER SEUS TEMAS E SUAS PERSPECTIVAS, E IRÁ SE TORNAR UM DOS MAIORES POETAS BRASILEIROS DOS ANOS 2020. É ESPERAR PARA VER. CONVÉM LEMBRAR SEU NOME.

FERNANDO PY – ( POETA E CRÍTICO LITERÁRIO)

TRIBUNA DE PETRÓPOLIS – RIO DE JANEIRO

25 DE FEVEREIRO DE 2011, CADERNO LAZER, P. 05

1 comentário

Arquivado em RECORTES, Uncategorized

FRESCOR POÉTICO – PUBLICADO NO CORREIO BRAZILIENSE (2008)

VOLTA E MEIA, A GENTE DESCOBRE UM ESCRITOR DE VERDADE. QUANDO ELE É JOVEM E MOSTRA VASTO CAMINHO À FRENTE, A ALEGRIA DA LEITURA SE DESDOBRA PARA O BOM HUMOR DOS DIAS CAÓTICOS. ESQUECEMOS O TRÂNSITO INFERNAL E SEUS MOTORISTAS BOÇAIS, A INCOMPETÊNCIA POLÍTICA E SEUS DESVIOS ÉTICOS, A BURRICE ARQUITETADA NA UNANIMIDADE.

LER DIEGO MENDES SOUSA FOI UM DESSES ALÍVIOS DURANTE A SEMANA. ELE NASCEU EM 1989, NA CIDADE DE PARNAÍBA, NO PIAUÍ. PARENTE DISTANTE DE FERREIRA GULLAR, ESTUDA DIREITO E AVISA QUE PRETENDE SER DIPLOMATA. PUBLICADA NO LIVRO DIVAGAÇÕES, SEGUE UM EXEMPLO DE POESIA EM ÓTIMA FORMAÇÃO.

CHAMADO

 

De um desejo

                      o impulso das constelações

 

O brilho de Vênus

                               desfez

                                         a crise da taciturna noite

 

 

A poeira das galáxias castigou o conluio mais

vulgar

 

A morte silenciou

 

Sucederam-se as vozes que detrás do caminho

ousam perante a consciência

calar as mais perturbadas intenções

MATÉRIA PUBLICADA PELO CRÍTICO LITERÁRIO SÉRGIO DE SÁ, NO TRADICIONAL JORNAL CORREIO BRAZILIENSE, EM 23 DE FEVEREIRO DE 2008, NA COLUNA LIVROS&LEITURAS.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Arquivado em RECORTES, Uncategorized