Arquivo da categoria: ELOGIO DE LEITOR

DISSE IVAN JUNQUEIRA

Imagem

DIEGO MENDES SOUSA

————–

Meu prezado Diego:

Muito grato por Candelabro de Álamo, cujos poemas confirmam a precocidade dos versos que li em Fogo de Alabastro. Agradeço também a honrosa dedicatória aposta na segunda sessão do volume. Particulamente, eu endossaria as palavras que Astrid Cabral, amiga dileta e grandíssima poeta, escreveu sobre seus poemas. Receba o abraço afetuoso do seu

                    Ivan Junqueira

     Rio de Janeiro, 08 de fevereiro de 2013

                                                           

———————

Deixe um comentário

Arquivado em ELOGIO DE LEITOR, Uncategorized

DISSE RAQUEL NAVEIRA

Imagem

DIEGO MENDES SOUSA

————-

Li o livro Candelabro de Álamo de Diego Mendes Sousa. “Candelabro” é mesmo uma bela palavra e “Álamo” é “brancura de alabastro”. Há esse tom de voltagem solene e de luzeiro na sua poesia.

 
É bom sentir o seu profundo amor à poesia, a sua vontade de se entregar por inteiro ao seu cultivo: na confissão de que ela está viva dentro de Diego Mendes Sousa; na divulgação generosa da poesia brasileira; na sua admiração, homenagens e citações de poetas lidos; no seu gosto pelas referências míticas como o Dionísio redivivo, as esfinges, Orfeu e Afrodite.
 
O mito é mesmo a origem de todas as literaturas. 
 
Lindos os poemas como “A Veste” e “Ânfora Noturna”.
 
Cito estes versos: “…e o cérebro é casa invadida de estrelas adormecidas.”
 
E que lúcido e elegante o posfácio de Astrid Cabral.
 
Diego Mendes Sousa, tão jovem, já assumiu o compromisso existencial com uma linguagem de alto nível.
 
E continuará, com certeza, realizando uma obra-em-progresso cada vez melhor e mais madura, testemunhando o seu tempo.
 
Raquel Naveira
São Paulo, 25 de março de 2013

Deixe um comentário

Arquivado em ELOGIO DE LEITOR, Uncategorized

DISSE BALINA BELLO LIMA

Imagem

DIEGO MENDES SOUSA

—————-

Li o livro Candelabro de Álamo de Diego Mendes Sousa e escrevi em suas páginas brancas finais o seguinte texto: Impressões. As melhores possíveis! Poeta completo, sem apelações. Livre, armado apenas de vocabulário expressivo e inusitado, vestindo imagens poéticas de rara beleza, Diego Mendes Sousa encanta, seduz, assusta e ressuscita, com a sua ousada juventude e absoluto domínio do idioma, a grande poesia cuja vida estava sendo ameaçada.

Impactei-me, precisei reler a obra, e a cada nova leitura, outras interpretações nasciam no seu vasto horizonte poético…

      Não há pontuação, mas sobra música afinada e cadência rítmica que ultrapassam a rima ausente, rara ou apenas sugerida.

      Permeando e colorindo toda a produção poética, ergue-se a grande musa Altair, competente inspiradora de belos versos.

      Ressalto ainda a cultura geral e literária do poeta, aqui também traduzida em referências mitológicas e ou em valores orientais e históricos. Destaco poemas com que mais me identifiquei: Enternecer Noturno, Os Sentidos, O Sexo, Passagem, Dicotomia, Corolário, Adeus, A Poesia, O Sopro, A Escultura e sobretudo Axioma, que ainda define poesia após o esgotamento de suas definições.

     Parabéns, Diego Mendes Sousa, nos seus dez anos de poesia. 

Diego Mendes Sousa supera poetas que já percorreram estradas bem mais longas… Minha impressão maior é a de que a poesia brasileira contemporânea resolveu fixar residência em Diego Mendes Sousa.
 
               Rio de Janeiro, 8 de março de 2013
               Balina Bello Lima

Deixe um comentário

Arquivado em ELOGIO DE LEITOR, Uncategorized

10 ANOS DE POESIA (2003-2013)

Diego, meu querido poeta:

Muito boa essa iniciativa de comemoração dos teus –já – 10 anos de poesia. Associo-me a essa festividade, saudando o jovem e competente poeta. Parabéns por trabalho desenvolvido com seriedade, qualidade e independência.

Grande abraço, fraterno

Rubens Jardim

Deixe um comentário

Arquivado em ELOGIO DE LEITOR, Uncategorized

DISSE LENILDE FREITAS

 

Como Lêdo Ivo, Diego Mendes Sousa também é um poeta necessário.

                                     LENILDE FREITAS

Deixe um comentário

Arquivado em ELOGIO DE LEITOR, Uncategorized

DISSE BALINA BELLO LIMA

Diego Mendes Sousa é um grande POETA, traduz como ninguém emoções inefáveis.

                                             Balina Bello Lima

Deixe um comentário

Arquivado em ELOGIO DE LEITOR, Uncategorized

DISSE CARLOS PONTES

Diego Mendes Sousa é um autor que nos faz refletir. É um presente raro em nossos dias, começo do século XXI. A obra ( 50 Poemas Escolhidos Pelo Autor)  negocia de modo brilhante e hábil um espírito completo sob todos os aspectos.

                                                         Carlos Pontes

==============

Deixaria qualquer compromisso para testemunhar CANDELABRO DE ÁLAMO. É um prazer imenso.

                                       Carlos Pontes

Deixe um comentário

Arquivado em ELOGIO DE LEITOR, Uncategorized

DISSE FRANCISCO MIGUEL DE MOURA

Diego Mendes Sousa, da nova geração de poetas, merece todo o destaque. É isto aí, o século praticamente no começo e Diego Mendes Sousa com a sua poesia avançada que honra todas as épocas, especialmente a nossa tão fraca de valores novos.

                               Francisco Miguel de Moura

Deixe um comentário

Arquivado em ELOGIO DE LEITOR, Uncategorized

DISSE JORGE TUFIC

Diego Mendes Sousa é autor de FOGO DE ALABASTRO, livro maduro, que representa parte substancial da evolução do poeta, em cujas publicações anteriores já se revelava grande e respeitável.

                                           Jorge Tufic

Deixe um comentário

Arquivado em ELOGIO DE LEITOR, Uncategorized

DISSE MIRIAN DE CARVALHO

    

 

TENHO COMIGO A METAFÍSICA DO ENCANTO. ACHEI BELÍSSIMA. DIEGO MENDES SOUSA CONSEGUE EXPRESSAR POETICAMENTE A DELICADEZA E A FORÇA DO AMOR, QUE É TEMA E SENTIMENTO TÃO DIFÍCIL DE SER ABORDADO. SEU LIVRO É EXCELENTE. É ENCANTO E ENCANTAMENTO PARA O LEITOR QUE SE LANÇA À METAFÍSICA E A SENSIBILIDADE DOS SEUS VERSOS.

NUM BELO CONTRAPONTO COM A METAFÍSICA DO ENCANTO, FOGO DE ALABASTRO SE REÚNE À METAFÍSICA, POR REVELAR A CONJUGAÇÃO DE DUAS VISÕES, E DE MUITAS OUTRAS, NUMA TESSITURA DA POÉTICA DO AMOR.

 
                                                  MIRIAN DE CARVALHO

Deixe um comentário

Arquivado em ELOGIO DE LEITOR, Uncategorized